Blog Posts publicados pelo Dr. Fabiano sobre diversos assuntos

Agressão simbólica na medicina psicossomática 2

Os sintomas que a agressão pode acarretar são de cinco espécies: psicológicos, somáticos, sociais, relacionais e auto-destrutivos.
Psicológicos: São os sentimentos ruins e a inclinação ao auto-boicote.Indivíduos tomados de sentimentos ruins carregam uma aflição constante e sem causa, que se alimenta de uma visão negativa sobre a vida. Tendem a se aproximar de pessoas com as mesmas características e hostilizar ou se sentir ameaçados por aqueles que não possuem negativismo exagerado. Estas pessoas se prejudicam sem notar – ou notam, porém não admitem -, escolhem sempre aquilo que vai lhes patrocinar desvantagem e elegem a vitimização heróica como um modo comportamental.

Somáticos: São como uma escrituração da agressão sofrida (no corpo). O corpo fala alguma coisa por intermédio do sintoma, por isto o tratamento consiste em traduzir o que ele diz de modo que a fala corporal (o sintoma manifesto) se torne desnecessária. Quando a voz secreta é ouvida no tratamento clínico, ela enfim pode se calar. Uma pessoa pode ser recebida no consultório com uma paralisia facial unilátera e descobrir que este sintoma significa que a agressão sofrida lhe foi como um fortíssimo tapa na cara. Outra pode chegar com dores no joelho e descobrir que estas dores representam sua vontade reprimida de chutar tudo para bem longe. Outra pode apresentar falta de ar ou sufocamento e através disto simbolizar que muita coisa lhe está entalada na garganta. Os sintomas corporais são os mais variados e só se calam quando seu clamor é escutado.

Sociais: São comportamentos de antipatia e fechamento. Aqui, as pessoas costumam ser ácidas em seus comentários, ou chatas, ou repetitivas em seus discursos, ou costumam evitar a convivência social, alegando alguma razão perfeitamente superável: “eu prefiro ficar em meu canto”, “as pessoas são fúteis”, “não tem nada interessante na cidade”, “tenho trabalhado demais”, “fiz isto uma vez e não gostei”, “não conheço pessoas que se afinam com meu jeito”, etc. De um modo geral, estas pessoas são antipatizadas. Isto acontece porque, no fundo, elas querem ser antipatizadas, querem prolongar o sentimento de agressão sofrida e inconscientemente produzem antipatia nos que lhes cercam.

Relacionais: Se por um lado os que padecem de sintomas sociais impedem que pessoas se aproximem, por outro, os que portam sintomas relacionais massacram os mais próximos (os que já se aproximaram). São muito exigentes, desconfiados, monitoradores, criam situações desconfortáveis, e seguem a marcha demolidora até a relação se tornar insuportável para a outra parte, e se romper. Geralmente, a relação acaba várias vezes, antes do término definitivo, mas isto não impede que as forças lesivas continuem em operação. Os sintomáticos relacionais, la no fundo, querem que sua relação acabe para que assim possam experimentar o gozo masoquista da fantasia do abandono.

Auto-destrutivos. Os indivíduos se autodestroem desde as formas mais brandas até as mais temíveis. As mais brandas são as negligências recorrentes com a vida, com a saúde e com o corpo. Os que se deixam enfeiar são bons exemplos de auto-destruição branda. Não estou dizendo que as pessoas devem ser escravas da estética. Estou dizendo que existem aquelas que simplesmente se largam, como se quisessem causar choque às outras ou expressar, na própria imagem, seu derrotismo. Entretanto há as formas mais temíveis, onde as pessoas se põem em circunstâncias perigosas. Experimentam prazer no risco de uma perda grave: fazem sexo irresponsavelmente, frequentam lugares perigosos, envolvem-se em confusões, etc.
Por fim, é bom dizer que uma mesma pessoa pode apresentar misturas de classes sintomáticas. Ela pode, por exemplo, ter sintomas sociais, relacionais e auto-destrutivos simultaneamente. Assim como pode haver as migrações sintomáticas, isto é, em uma fase os sintomas são auto-destrutivos, noutra são somáticos, e assim sucessivamente.

Beijocas,
Fabiano Goes

Queila Trizotti

Quando eu conheci o Dr. estava em uma das fases mais difíceis da minha vida, acabado de terminar um relacionamento com problemas financeiros e com a vida profissional despencando, mas através da mentoria dele fui colocando cada coisa em seu devido lugar, hoje me considero uma pessoa extremamente feliz e realizada, e quando trabalhamos nossa força interior e autoconfiança as coisas simplesmente acontecem, eu evolui tanto e obtive tantos resultados, que hoje ajudo ele meu mentor dr Fabiano Goes, a levar a sua mensagem de transformação e desenvolvimento pessoal para maior número mulheres possível. E acredito tanto na causa e no propósito e na transformação que ele gera que atualmente me tornei co-produtora Dele, que pra mim é uma honra.

Etine Oliveira

Você realmente é um profissional incrível, pois consegue fazer qualquer assunto interessante. Transborda amor pelo que faz, e o resultado não poderia ser diferente. Nós que agradecemos por compartilhar tantas informações transformadoras e relevantes. Acredito quão feliz e realizado você fica com feedback positivo que tem proporcionado na vida de tantas pessoas. Obrigada por ser este profissional sensacional.

Daniela Diniz

Advogada

Dr. você me ajudou tanto através dos seus vídeos, que nem sei se conseguirei expressar por palavras p quanto bem você me fez/faz. Obrigado por me mostrar o outro lado da coisa (sem visão romantizada que o sendo comum tem sobre quase tudo). São os seus vídeos a minha primeira busca da manhã, pois lá através da linguagem mais objetiva e acessível do mundo, eu passei a entender coisas “simples” que jamais ninguém foi capaz de explicar. Obrigado por tudo… mil vezes obrigado!

Tati Haurani

Aprendi a me amar em primeiro lugar. Aprendi que a esperteza e a experiência são ais importantes que diplomas. Aprendi que devemos aprender alguma coisa todos os dias. Aprendi que “camarão que dorme a onda leva”. Aprendi que devo conviver com pessoas que me agregam alguma coisa. E que eu devo exercitar o tempo todo a arte de “dar e receber” pois mesmo achando que não estou recebendo, o Universo manda tudo vive boa de volta. Antes, eu só sabia ganhar dinheiro. Hoje eu sei ganhar tudo que quero!

Ir para o topo