Blog Posts publicados pelo Dr. Fabiano sobre diversos assuntos

Medicina Psicosomática e suas contribuições

A Medicina Psicossomática prestou grande contribuição ao campo da saúde, ao demonstrar que as influências sociais e ambientais, assim como as emoções e os pensamentos exercem um papel relevante no adoecimento orgânico. Mente e corpo são indissociáveis e se afetam recíproca e continuamente. No entanto a importância desta medicina ultrapassa as portas dos consultórios médicos. Ela não é uma ciência que se presta apenas a explicar as causas invisíveis do processo saúde-doença. É também uma ferramenta que pode ajudar os indivíduos a serem pessoas melhores.

Em um livro chamado Estudos sobre a Histeria, Freud e Breuer analisaram os efeitos do sofrimento psíquico sobre a vida dos seus pacientes. Apesar de muita coisa estar desatualizada nesta obra, creio que seja válido lê-la. Os pacientes sofriam todo tipo de mazelas: alucinações, confusões mentais, paralisias, estrabismos, perda da fala e tudo mais que se puder imaginar. Contudo, o traço distintivo da condição histérica era o fato de não possuir uma causa física. Qual a causa então? No caso dos pacientes analisados no livro, a causa era um sofrimento emocional profundo. Mas é sabido que não apenas os sofrimentos profundos adoecem. As emoções negativas mais leves e constantes, os pensamentos ruins, as crenças empobrecedoras, as culpas e até as, por assim dizer, “más companhias” PRODUZEM TANTAS OU MAIS DOENÇAS DO QUE VÍRUS OU ENVENENAMENTOS, OU AINDA DESENVOLVEM OU AGRAVAM AS QUE JÁ SE INSTALARAM.

Só que as descobertas não pararam por aí. Se colocarmos o conceito de saúde numa perspectiva mais ampla, veremos que ser saudável não é simplesmente estar isento de doenças. É ACHAR-SE APTO A EXERCER A PLENITUDE DA VIDA SOCIAL. Se o indivíduo vai exercer ou não, isto é outra história; o que importa é que ele(a) precisa possuir as condições necessárias para fazê-lo. Nesta perspectiva, algumas situações começam a se mostrar dignas de serem preocupações do campo da saúde. O trânsito e o trabalho são bons exemplos do que pode ser abordado pelos profissionais da saúde, mesmo quando os pacientes não estão “oficialmente’ doentes ou adoecendo. Em alguns países, uma pessoa irascível (alguém que se enfurece muito e facilmente) é considerada medicamente incapaz de possuir habilitação, sem o devido tratamento e supervisão profissional. Qual a razão disto? Pessoas assim são ameaças a si e a outros. É uma questão de Saúde Pública! O mesmo acontece, em alguns lugares, no que diz respeito as normas trabalhistas. Em algumas nações, uma pessoa pode ser afastada provisória ou definitivamente, sob indicação médica, por conta de aspectos da personalidade considerados “normais”. Desonestidade ou grave irresponsabilidade são exemplos. Note-se que os fatores citados são sociais ou, melhor dizendo, SÓCIO-CULTURAIS-COMPORTAMENTAIS.

Infelizmente, a saúde pública ainda não abraçou todo o conjunto de elementos que deveriam ser levados em consideração. A Medicina Psicossomática já deixou claro que certas condições consideradas “comuns” podem ser bastante prejudiciais. Que condições? Carência emocional, insegurança, dependência emocional, ciúme descontrolado e outras mais. Alguém poderia argumentar: “estas coisas aí quase todo mundo tem”. Para esta argumentação, o contra-argumento é o seguinte a) O que as caracteriza como distúrbios não é sua existência, mas sim sua intensidade. É como a diferença entre um mero espirro eventual e um espirrar sintomático de uma rinite. b) O fato de certas condições ou pensamentos serem comuns não significa que sejam inofensivos ou aceitáveis. Antigamente, fumar era tão comum que médicos fumavam em centros cirúrgicos.

Enfim, no proximo texto falarei sobre a Medicina Psicossomática em relação as “Doenças Relacionais”.

Fabiano Goes.

Queila Trizotti

Quando eu conheci o Dr. estava em uma das fases mais difíceis da minha vida, acabado de terminar um relacionamento com problemas financeiros e com a vida profissional despencando, mas através da mentoria dele fui colocando cada coisa em seu devido lugar, hoje me considero uma pessoa extremamente feliz e realizada, e quando trabalhamos nossa força interior e autoconfiança as coisas simplesmente acontecem, eu evolui tanto e obtive tantos resultados, que hoje ajudo ele meu mentor dr Fabiano Goes, a levar a sua mensagem de transformação e desenvolvimento pessoal para maior número mulheres possível. E acredito tanto na causa e no propósito e na transformação que ele gera que atualmente me tornei co-produtora Dele, que pra mim é uma honra.

Etine Oliveira

Você realmente é um profissional incrível, pois consegue fazer qualquer assunto interessante. Transborda amor pelo que faz, e o resultado não poderia ser diferente. Nós que agradecemos por compartilhar tantas informações transformadoras e relevantes. Acredito quão feliz e realizado você fica com feedback positivo que tem proporcionado na vida de tantas pessoas. Obrigada por ser este profissional sensacional.

Daniela Diniz

Advogada

Dr. você me ajudou tanto através dos seus vídeos, que nem sei se conseguirei expressar por palavras p quanto bem você me fez/faz. Obrigado por me mostrar o outro lado da coisa (sem visão romantizada que o sendo comum tem sobre quase tudo). São os seus vídeos a minha primeira busca da manhã, pois lá através da linguagem mais objetiva e acessível do mundo, eu passei a entender coisas “simples” que jamais ninguém foi capaz de explicar. Obrigado por tudo… mil vezes obrigado!

Tati Haurani

Aprendi a me amar em primeiro lugar. Aprendi que a esperteza e a experiência são ais importantes que diplomas. Aprendi que devemos aprender alguma coisa todos os dias. Aprendi que “camarão que dorme a onda leva”. Aprendi que devo conviver com pessoas que me agregam alguma coisa. E que eu devo exercitar o tempo todo a arte de “dar e receber” pois mesmo achando que não estou recebendo, o Universo manda tudo vive boa de volta. Antes, eu só sabia ganhar dinheiro. Hoje eu sei ganhar tudo que quero!

Ir para o topo