Blog Posts publicados pelo Dr. Fabiano sobre diversos assuntos

Quando se implora se depora

Uma moça me enviou uma mensagem dizendo que sua relação ia acabar, mas que IMPLOROU para que o namorado desse mais uma chance, e ele acabou cedendo. No entanto, ela sente que as coisas não estão legais e teme que o término ocorra.

Esta situação é bastante comum: uma pessoa esperneia, outra fica com pena e dá o que ela quer. Por conta disto, pode até parecer que espernear, choramingar e implorar funciona. Mas não. É só aparência, e mesmo está aparência não perdura muito tempo. Choramingar, espernear e implorar são maneiras infantis de se conseguir algo. Os bebês fazem assim, contudo são bebês. Crianças mais velhas, quando mimadas, também fazem assim. E algumas pessoas preservam este mecanismo infantil ao longo de toda a vida.

Está na hora de se deixar bem claro que NÁO FUNCIONA. Ainda que pareça funcionar – como nos casos em que a outra parte concorda em dar o que é pedido -, a verdade é que não passa de um falso resultado positivo que irá se desfazer a qualquer momento. QUANDO É QUE CERTOS INDIVÍDUOS VÃO SE DAR CONTA DE QUE SERES HUMANOS CONCORDAM COM COISAS QUE NÃO QUEREM??? Todo mundo aceita ou faz algo que não quer diariamente. As pessoas concordam em ficar um tempo a mais em uma festa, ou mesmo ir a uma festa a contragosto, aceitam um trabalho que não querem, um salário que não querem contudo necessitam, um relacionamento que não curtem, e a lista vai ao infinito. O fato é que precisa ficar bem claro que CONCORDAR NÃO É QUERER.

Neste ponto, algumas pessoas, como se não fizessem isto também, poderiam perguntar: “se não querem, por que aceitam? Não seria mais fácil recusar e pronto?”. O rol dos motivos que levam alguém a emitir esta frágil concordância é gigantesco. Conveniência, culpa, pena são alguns poucos exemplos. No caso de uma pessoa que cede em razão de outra implorar, o PRINCIPAL MOTIVO É A PENA. Neste caso em particular, quem cede o faz por sentir pena, no máximo. Todavia, PENA NÃO É AMOR. Aliás, pior do que isto: PENA É ANTAGONISTA DO AMOR. UMA PESSOA QUE SENTE PENA DEIXA DE AMAR, pois começa a ver a outra como digna de pena e não como objeto de amor. Num contexto religioso, sentir pena é amar, no entanto isto só vale no contexto religioso. No contexto das relações afetivas, o amor se alia a admiração, não a pena. Ninguém vai olhar um mendigo na rua, encher-se de piedade e querer casar com ele.

Portanto, o risco que correm os que imploram são dois: 1) manter alguém consigo por pura pena, sendo que esta situação não resistirá muito tempo e 2) tornar-se desprezível, de modo que fique impraticável qualquer hipótese de convivência. Estes riscos são cumulativos, ou seja, não vai acontecer um ou outro, mas provavelmente os dois simultaneamente. Advirto os que são adeptos do ato de implorar que levem muito em consideração este texto, pois negligência-lo pode acarretar penalidades insuportáveis.

Queila Trizotti

Quando eu conheci o Dr. estava em uma das fases mais difíceis da minha vida, acabado de terminar um relacionamento com problemas financeiros e com a vida profissional despencando, mas através da mentoria dele fui colocando cada coisa em seu devido lugar, hoje me considero uma pessoa extremamente feliz e realizada, e quando trabalhamos nossa força interior e autoconfiança as coisas simplesmente acontecem, eu evolui tanto e obtive tantos resultados, que hoje ajudo ele meu mentor dr Fabiano Goes, a levar a sua mensagem de transformação e desenvolvimento pessoal para maior número mulheres possível. E acredito tanto na causa e no propósito e na transformação que ele gera que atualmente me tornei co-produtora Dele, que pra mim é uma honra.

Etine Oliveira

Você realmente é um profissional incrível, pois consegue fazer qualquer assunto interessante. Transborda amor pelo que faz, e o resultado não poderia ser diferente. Nós que agradecemos por compartilhar tantas informações transformadoras e relevantes. Acredito quão feliz e realizado você fica com feedback positivo que tem proporcionado na vida de tantas pessoas. Obrigada por ser este profissional sensacional.

Daniela Diniz

Advogada

Dr. você me ajudou tanto através dos seus vídeos, que nem sei se conseguirei expressar por palavras p quanto bem você me fez/faz. Obrigado por me mostrar o outro lado da coisa (sem visão romantizada que o sendo comum tem sobre quase tudo). São os seus vídeos a minha primeira busca da manhã, pois lá através da linguagem mais objetiva e acessível do mundo, eu passei a entender coisas “simples” que jamais ninguém foi capaz de explicar. Obrigado por tudo… mil vezes obrigado!

Tati Haurani

Aprendi a me amar em primeiro lugar. Aprendi que a esperteza e a experiência são ais importantes que diplomas. Aprendi que devemos aprender alguma coisa todos os dias. Aprendi que “camarão que dorme a onda leva”. Aprendi que devo conviver com pessoas que me agregam alguma coisa. E que eu devo exercitar o tempo todo a arte de “dar e receber” pois mesmo achando que não estou recebendo, o Universo manda tudo vive boa de volta. Antes, eu só sabia ganhar dinheiro. Hoje eu sei ganhar tudo que quero!

Ir para o topo